Rodas de Samba

O batuque sempre fez parte da nossa cultura, um bom samba não deixa ninguém parado, desde do
bater das mãos ao remelexo que toma conta de qualquer corpo que escuta o ritmo.

As rodas de samba no Rio, tornaram-se tradicionais, e em alguns pontos até programa turístico, independente de
ser carnaval.

Tem lugares que preservam o típico malandro carioca de chapéu, terno de linho e muito samba no
pé. Essa parte da cultura carioca é bem democrática e agrada a galera da zona sul e norte sem
distinção da classe econômica.

Há os que amam a batucada de janeiro a janeiro e de segunda a segunda, e sem exagero algum,
existe para cada dia da semana um canto carioca com uma roda de samba acontecendo, às
segundas-feiras, os cariocas podem encontrar no Clube Renascença, no Andaraí, o Samba do
Trabalhador, a nata se reúne ali e ninguém se importa de ser apenas o começo da semana.

No Beco do Rato, aos pés da Ladeira de Santa Teresa, a turma se encontra a partir de terça-feira para tomar
umas geladas e entoar os sambas clássicos que vão de Beth Carvalho a Jovelina Pérola Negra.

E o ritmo ainda se espalha pelos outros dias da semana e por outros bairros, como Madureira e
Glória.

É só escolher o dia, esperar a tarde cair e apreciar os sucessos que nunca faltam nas rodas de
samba, alguns cantam mais tímidos e outros soltam a voz, não importa o tom do timbre e sim o
deixar pra lá as preocupações e celebrar o samba nas diversas vozes e composições como: Sorriso
Aberto, A Sorrir, Se Você Jurar, Vou Festejar, Não Deixe o Samba Morrer e por aí vai …

Foto Gloriosa Roda de Samba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *